05:00

Qual era o gênio da História que dormia com um caderninho do lado pois acordava no meio da noite com ideias sensacionais? Não lembro, acho que era até mais de um. E, bem, pode escrever meu nome na lista também! Estou com olheiras, caindo de sono porque acordei às 05:00 (dormi às 01:30) transbordado inspiração. Porém, como eu sou do tipo que tem dificuldades para pegar no sono (nada de insônia, calma), estou me segurando só para cair no mundo dos sonhos na hora certa (depois das 23:00, para mim).

Pois é, não é a primeira vez que isso acontece comigo. Mas essa de acordar cheia de inspiração para literatura só havia acontecido uma única outra vez, quando eu estava na quarta série do Ensino Fundamental. Estava desesperada porque tinha que entregar para professora uma poesia com o tema “Se eu fosse uma forma…” Exato. WTF, professora? Enfim, tinha dez anos e acho que fazia sentido no contexto do que estávamos estudando na época. Só que eu já tinha desistido e estava resignada. Fui dormir na noite anterior do Dia D com a consciência tranquila.

Daí às 05:00, acordei com a poesia praticamente pronta na minha cabeça! Sério, foi muito louco. Eu abri os olhos, catei meu caderno e a escrevi. E, sem brincadeira, a poesia é muito bacana. Deem uma olhada:

Se eu fosse uma Forma

Eram duas formas separadas
Uma redonda e outra quadrada
Um dia se apaixonaram
Mas o namoro delas 
Seus pais não aceitavam

Tentaram suas famílias juntar
Mas o que elas só faziam era brigar
Então resolveram fugir,
Casaram escondido

E foram morar no Havaí

Nossa! Que história maluca!
Quem escreveu não batia bem da cuca,
Mas se eu fosse uma forma,
Seria um triângulo
E se eu de repente me apaixonasse por um retângulo?

Eu sei, aposto que você também se emocionou. Essa era a vida intrigante pelos olhos de uma menininha! Naquele ano, todas as turmas fizeram um livros de poesias. Adivinha quem foi parar nele? Claro que foi “Se eu fosse uma forma”.

Enfim, a mulher de 24 aqui, como já falou, também teve uma inspiração súbita de plot para um possível livro. Ao contrário da “Marininha”, ela ficou com preguiça e demorou um pouco por preguiça a buscar algo para escrever. Por causa disso, o começo da história se perdeu…

AI QUE RAIVA!!!!

Pelo menos, olhando pelo lado positivo, eu entendo como ela se desenvolve e termina. O gênero é romântico fantástico (existe isso?). Algo que meio que já trabalhei uma fanfic antiga. Fiquei empolgada porque, na minha cabeça, essa mesma fanfic antiga tem tudo para virar um livro de verdade. Essa nova ideia poderia ser o segundo livro de uma série. Sim, sou dessas que deseja bem alto e bem longe!

Fiquei tão empolgada que definitivamente deixarei a preguiça de lado drogafalei e vou voltar com tudo com o Projeto Parede Branca ainda esta semana. Aliás, outros projetos além de livros surgiram. Pretendo falar deles ao longo da semana.

Para finalizar esse post, fica a foto do “meu” primeiro livro. AEEE!

Pode dizer, poesía de gênio!
Pode dizer, poesia de gênio!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s