GUIA PRÁTICO para aproveitar o I Enaejo

13315567_962992230481305_3840634134902097268_n

1o dia (23/07) – manhã

Entrando na feira, dirijam-se ao Auditório Alvorada (peguem o elevador, 1o andar). Sugerimos que a chegada seja, pelo menos, quinze minutos antes para que possamos entregar os crachás do encontro. O evento era fechado, mas mudamos de ideia – podem levar acompanhantes sem problemas. Porém, apenas os inscritos participarão das dinâmicas programadas.

Um dado importante: recebemos inscrições de aspirantes a escritores! Eles também podem participar das dinâmicas, mas de outra maneira (esclareceremos no dia).

Às 10h damos início ao I Enaejo. A abertura terá quatro momentos:

  • Apresentação da curadoria
  • O que é ser escritor?
  • “Se vira nos 30”

Todos os participantes terão 30 segundos cronometrados para apresentar a sua obra. Não importa quantos livros tenha, o tempo é este (seja criativo!).

  • A roda dos gêneros

Momento para aprofundarmos a discussão da obra de cada escritor.

Dica: levem casaco (porque o ar condicionado é central, ou seja, congelante)

O auditório é nosso até as 12h.

1o dia (23/07) – tarde

Levando em consideração o tema da feira, “Meu mestre, meu livro”, nos dedicaremos a informar e profissionalizar escritores e aspirantes. Teremos no Espaço Oficinas 1 dois blocos informativos.

Às 14h, o escritor Flávio Vieira dará um Workshop de Escrita. Apenas os 25 primeiros a entrarem poderão participar. Detalhe: é aberto à feira. Portanto, cheguem cedo para garantir o seu lugar ao sol.

Às 15h30, é a vez do escritor Rodrigo Feres falar sobre A criação de obras literárias para E-book. Ótima pedida para os autores do Wattpad ou para quem quer se aventurar no mundo digital. Este workshop também é aberto ao público, mas o limite de participantes depende do Espaço Oficinas 1.

18h – Bate-papo com a escritora FML Pepper no Auditório Águas Claras

A Pepper, além de ser um amor de pessoa, tem uma história muito interessante e inspiradora. A mediação é por conta daMarina Oliveira e garante que escolheu perguntas que agradem o público e os participantes do Enaejo. Às 19h Pepper irá para o Abraço com Letras dar autógrafos, mas não se preocupem: Ela estará no stand da distribuidora Horizonte do Saber até o final da noite. Aviso isso porque…

Às 19h, teremos o Baile dos Escritores no Espaço Rapel. A ideia original era que apenas os escritores inscritos pudessem participar. Porém pensamos em algo melhor. Os blogueiros do I Encontro Nacional de Blogueiros também serão convidados. Motivo? Ora, é o momento perfeito para firmar parcerias! Sintam-se a vontade também para levar UM acompanhante. Coffee break, música e amor aos livros até as 20h. Existe combinação melhor?

13838293_10207025381056350_979751207_o

E, lembrando, que não tem código de vestimenta!

Dica: levem seus livros e material de divulgação!

2o dia (24/07) – manhã 

Começamos o dia de novo às 10h no Auditório Alvorada! Dessa vez teremos o painel “Escrevi meu livro e agora?” com Flávio Vieira, Victor Tagore e Maurício Gomyde. O escritor Arisson Tavares vai apoiá-los a expor algumas formas de publicação. Perfeito para quem não sabe como transformar as obras em livros físicos.

Depois ainda no Auditório Alvorada, às 11h, teremos o Grande Debate dos Escritores Jovens. A mesa será formada pelos escritores Jander Gomez, Dayse Dantas e João Doerderlein e a mediação fica com a Marina Oliveira. Será que a discussão nos levará a uma Guerra Civil?

Dica: Vão bem alimentados porque o debate vai até 12h30.

2o dia (24/07) – tarde 

Às 14h no Espaço Oficinas 1, Flávio Vieira (não temos culpa, o rapaz é ótimo!) fará um workshop sobre Bloqueio Criativo. Mesmo esquema do dia anterior – é aberto à feira e são 25 vagas. Portanto, cheguem cedo para garantir o seu lugar ao sol.

Às 15h, Hector Ângelo ministrará uma palestra no Auditório Alvorada. Aí vão alguns motivos para não perder:

  • 14 anos, 4 livros;
  • Recém-contratado da Editora 42;
  • Foi destaque numa feira literária de Londres;
  • Desenha, pinta e já produziu uma linha de bonecos;
  • O seu terceiro  livro “A Transformação de Joca” foi selecionado no Concurso Internacional de Escritores Infantojuvenil Lusofonos La Atrevida , instituição ligada à Universidade de Lisboa e fará parte do livro III Antologia Atrevida.

13047990_1115321001821370_144400392757759089_o

É mole ou quer mais?!!!

Para fechar o I Enaejo com chave de ouro: Bate-papo com André Vianco, às 16h no Auditório Águas Claras. Ele é o cara! Ele tem bagagem! E vai dividir com a gente, mediado pelo blogueiro literário (e fã) Luciano Vellasco. Afinal, no encontro passamos por todos os estágios da vida de escritor. Nada mais justo do que terminar com um autor como Vianco, que já vem construindo seu legado há um tempo.

Após o bate-papo, vai direto para o Abraço com Letras e distribuir autógrafos.

 

 

 

Anúncios

OPEP: Mamíferos, jogos vorazes e muita música

“O Papa é Pop” hoje está bem recheado! Tem música, seriado, filme e um vídeo muito louco para comentar e indicar.

Zootopia

A nova animação da Disney é simplesmente PERFEITA. Eu tinha achado os trailers engraçadinhos, mas até então não tinha entendido direito qual seria o tema tratado. Pois bem, a coelhinha Judy quer ser uma policial numa sociedade de animais mamíferos que deixaram o sistema de predador e presa pra trás. Porém nenhum coelho (ou animal de pequeno porte) jamais tinha conquistado esta posição. Cabe a Judy quebrar os padrões e seguir o seu sonho, ensinando as criancinhas a persistirem sempre naquilo que almejam mesmo quando todo o mundo duvide de você. Meio cliché, né? Sim. SÓ QUE Zootopia é muito mais do que isso.

ZootopiaPredadores e presa. Ricos e plebeus. Governantes e governados. Valentões e vítimas.  Maioria e minorias. Zootopia é isso, uma baita alegoria do nosso mundo. Fala de preconceitos, papéis que supostamente devemos assumir e até luta de poder (sério, tem uma parte que é super Maquiavel. É uma baita aula de sociologia e filosofia. Um filme completo, redondinho e adorável. Sinceramente, recomendaria o filme para todas as salas de aula. Imagina discutir esse filme com crianças e adolescentes? E em faculdades? Deixa eu sonhar.

Recomendo o filme pra ontem. Já assisti duas vezes no cinema (e provavelmente irei numa terceira em breve). Ah! Achei muito sensacional ver os nomes dos dubladores brasileiros de novo em destaque nos créditos. Valorizo!

A segunda temporada de Demolidor e Vikings

Teve maratona de Daredevil neste último fim de semana. Amei a primeira temporada e também esta segunda. Mantiveram o clima do vigilante noturno, os conflitos de personalidade do Murdock e também as lutas legais (o que foi o terceiro episódio?). Achei o arco do Justiceiro muito interessante, apesar de ter dormido bacana no episódio 10 ou 11. O personagem é um maluco psicopata, mas gostei dele ainda assim. Uma amiga sugeriu shippar ele com a Karen. Gostei. Quanto a Elektra… Bom, gostei dela no início. Lá pro final meu interesse por ela caiu, sei lá. Mas acho que o final da temporada em si ficou meio desinteressante. Na minha opinião, muita coisa ficou mal resolvida. E não me pareceu gancho pra próxima season. Enfim, ainda assim está no meu hall de séries favoritas.

daredevil-poster-costumes-850x560

Quanto a Vikings, comecei ontem e já estou in love. Na verdade foi um amor à segunda vista. Achei o primeiro episódio legal, mas o dois me pegou de jeito. Nem tem muita coisa pra comentar. Ainda assim fica aqui a recomendação. Tive a oportunidade de visitar um museu viking na Dinamarca. Percebi que tinha uma ideia bem errada deles. Considerava o povo bárbaro, mega violento e conquistadores sem pudor. Well… que povo não era assim antigamente, né? O que mais me impressionou, no entanto, foi o tamanho dos barcos deles. ERAM MUITO PEQUENOS. E ainda assim conquistaram o norte, chegaram no Reino Unido e até na Islândia. A séria mostra isso muito bem. Aprovada.

Produce 101

Mudando de Dinamarca pra Coreia do Sul, tenho acompanhado um reality show chamado Produce 101. A proposta: colocar cento e uma trainees de agências de entretenimento diferentes para competir entre si. No final, o público elegerá as 1 1 favoritas para debutar como um grupo temporário por um ano.

Se você não sabe, o K-POP é literalmente uma fábrica de artistas. Jovens que queiram entrar no mercado musical, prestam audições de companhias para, assim, serem treinados e, por fim, lançados na mídia. Assim, o Produce 101 seria a oportunidade perfeita para garotas que queiram sentir logo como é ser um ídolo de verdade.

É um jogos vorazes. No início da competição as meninas foram classificadas em A, B, C, D e F pelos treinadores. O resultado é o clipe a seguir (a ordem de aparição são os grupos classificatórios).

As missões foram aparecendo e várias meninas sendo eliminadas. Uma das minhas favoritas já rodou e nesta sexta sobrarão 22. Tô apreensiva. O tanto que já chorei nas eliminações… só piora. Ainda assim é um programa muito legal pra quem gosta de ver apresentações de dança, canto e rap. Caso se interessem, o perfil do twitter @teampd101 tem legendado todos os episódios em inglês.

Jeon Somi, Kim Sejeong, Kang Mina, Han Hyeri, Hwang Insun, Lee Haein, Kang Yebin, Cathy e sobrevivente da KCONIC, FIGHTING!!!!

Meghan Trainor says NO

Ainda falando sobre música, preciso falar de No da Meghan Trainor. Já estou sentindo falta das madeixas loiras e o som super retrô. Porém não tem como amar a vibe final dos anos 90/2000 dessa música. Parece Ciara, Britney na época de Oops I did it again ou os primeiros solos da Beyoncé. Pra dançar não tem ritmo melhor.

E aí tem a letra. Ah, mon amour! Se você não está afim de escutar a cantada do cara, seja clara. Mostre que só quer ficar na sua e deixe claro que não precisa disso pra levantar a auto-estima. Já virou meu hino na balada que eu quase nunca vou.

Baile de… J-pop

Para terminar. Esse vídeo! ESSE VÍDEO! Não tem o que dizer, só sentir.

As (minhas) 10 coreanas mais tocadas de 2015

Ontem à noite, assistindo ao SBS Gayo Daejun 2015 (é como se fosse o Show da Virada coreano, mas que nem sempre acontece no dia 31/12), me pus a pensar sobre as músicas de k-pop que mais tinha escutado. Foi fácil fazer um Top 10 porque não dediquei tanto tempo da minha vida a essa obsessão esse estilo musical este ano. Motivo? Preguiça mesmo.

E a preguiça foi tanta que não vi muitos K-dramas (e consequentemente não escutei OSTs), nem busquei novos artistas. Aliás, a maioria da lista a seguir é da JYP Entertainment. Porém nunca escondi minha predileção pela companhia, né?

Lara aprova este post!

10. Love is Madness – 15&

Eu AMO essas baladinhas que me fazem sorrir. Grudam na minha cabeça que é uma maravilha! E amo mais ainda as vozes da dupla 15&, tão únicas e harmoniosas. Jimin e Yerin também lançaram solos muito bons ao longo do ano, mas foi o trabalho em equipe que mais se destacou pra mim.

9. Dumb Dumb – Red Velvet

Quando o Red Velvet apareceu, não curti muito Happiness. Tudo gritava para mim “novo f(x)”! Daí veio Ice Cream, não dei bola. Dumb Dumb foi o primeiro clipe que assisti inteiro. Porém foram as apresentações que roubaram meu coração. A dança é muito cativante. O “dumdumdumdum” ecoa na cabeça. Ganharam uma seguidora aqui.

8. Just Right – Got7

A culpa é do MV. Tenho consciência de que essa música nem é tão boa assim, apesar do refrão viciante. Só que… são bonecos! Fofos! Coloridos! JB no carro sendo lindo! Uma mensagem bacana! Poxa!!! Não tem como não se apaixonar.

7. Heart Attack – AOA

Aqui temos um exemplo de que não foi o MV, muito menos as apresentações. Gostei puramente da música que, como uma amiga descreveu, lembra um reggaeton super pop. Melhor lugar para ouvir: no carro, de manhã. O dia fica mais ensolarado e sexy!

6. Puss – Jimin feat. Iron 

Talking about sexy… O QUE É ESSA MÚSICA? O ritmo é enlouquecedor, assim como o senhor Iron ali em cima. Na minha singela opinião, Jimin fez todo o trabalho que o grupo dela, o AOA, não fez. Mesmo que ela realmente soe como o Cebolinha às vezes. 

5. Lion Heart – Girls’ Generation

Não sei do que gostei mais: da música ou da performance. É bom ver as todas as meninas se divertindo no palco depois de tanto tempo. A coreografia também é ótima para fazer em qualquer lugar!

4. My House – 2PM

Meus queridos fizeram um comeback incrível este ano. Másculo, bem interpretado e de tema sensacional. Eles são ou não são príncipes modernos? O coração dispara toda vez que o início toca. E a bridge do Jun.K? Quase que tirou a coroa de bias do Junho.

3. Like Ooh Ahh – Twice

O único grupo estreante da lista subiu na lista como um foguete. Eu simplesmente me apaixonei perdidamente pelo Twice. Assisti ao reality show SIXTEEN e a todas as performances. Quanto a  música? Viciante demais! O MV também é muito divertido. Elas trouxeram algo novo e refrescante para o K-pop. 🙂

2. AHH OOP! – Mamamoo feat. ESNA

Eu amo tanto essa música que, para mim, ela merecia ter tido muito mais destaque que Um Oh Ah Yeh. A letra é simplesmente incrível (e olha que não costumo ligar para letra em coreano), falando de machismo e empoderamento feminino. E a interpretação ficou fantástica, como sempre.

1. I Feel You – Wonder Girls

Sem as Wonder Girls não haveria K-pop para mim. Quando soube da volta delas, fiquei extremamente feliz. Daí vi que elas retornariam como uma banda, quase caí para trás. Então, veio o álbum Reboot – uma obra de arte completa, mistura genial entre os anos 80 e o contemporâneo. Apesar de I Feel You ser o carro-chefe, nenhuma música ganha uma nota menor que 8. Obrigada, Wonder Girls!

20150404_seoulbeats_mamamoo (2)

OPEP: Digimon Adventure tri.

O Papa é Pop (OPEP) vai ganhar uma nova configuração! Em vez de comentar só os assuntos do momento, agora vou falar d0 que tenho presenciado no mundo do entretenimento (filmes, animes, desenhos, música, k-pop, novela, séries, etc.). Não entra literatura aqui porque… né? Praticamente todo o resto do blog é sobre isso!

Porém, hoje só vou falar de UM assunto. E vai ter SPOILER sim.

Digimon Adventure tri.

digimon-adventure-tri

Pense na pessoa que SURTOU assistindo ao primeiro OVA: Reunion (ou seriam os quatro primeiros episódios #confusa). Enquanto escrevo este post estou baixando loucamente as músicas que inundaram a minha infância feliz. Eu era tosca e insistia em dizer que Pokémon era melhor que Digimon e ainda assim não perdia um episódio sequer. Daí você cresce e percebe que a turma do Ash tem seu valor, mas não se compara aos Digiescolhidos e à história de Digimon como um todo. Sério! Não era só a aventura no mundo digital, eram crianças aprendendo a lidar com sentimentos e se descobrindo como pessoas. E o tri, trouxe isso de volta! Uma nova ameaça, amigos reunidos e digimons lutando. E essa luta é o principal questionamento de “Reunion”. Li no Kotaku uma análise interessante. Dizia, mais ou menos, que quando crianças, era incrível ver digimons batalhando nas ruas, mas depois de crescido você passa a perceber que por trás do “espetáculo” há grande destruição. Pessoas podem morrer. E esse é o dilema de Tai quanto a embarcar neste novo desafio do Digimundo ou não. Isso acaba recriando as boas brigas entre ele e Matt, que representa o lado da moeda que “não há o que pensar”, apenas agir. Um belo duelo. Além disso, temos Joe se esforçando que nem um louco para passar no vestibular (alô, é da casa da Mariana Vilar do “A parede branca do meu quarto”?). No próximo OVA que sai só no ano que vem, aposto que o tema Dever X Coração vai ser abordado. Afinal, o título será “Determination”.

Sobre o design. Adorei. Mais clean, leve. Nos digimons não notei tanta diferença. Achei isso um ponto positivo também. A cereja do bolo foi a manutenção das músicas (com novos arranjos) e efeitos sonoros do anime original. É só o barulho do digivice e “Brave Heart” tocar e o digimon começar a evoluir, que os fãs podem sentir arrepios!

DigimonAdventuretri5

Os mesmos digiescolhidos, uma nova fase da vida

Tai segue jogando bola, está mais reflexivo. Matt tem uma banda. Sora tirou aquele capacete horrível e é mais amável. Izzy continua sendo o maior geek de todos. Mimi ainda é a super extrovertida e patricinha. T.K. faz sucesso com as meninas. Kari, com os rapazes, porém se mantém discreta. Joe… Joe, cadê sua confiança, homem? Enfim, nada da personalidade do grupo foi alterado, porém é visível o amadurecimento. Agora eles são adolescentes, né?

Mas sabe o que vem com a adolescência? Hormônios em ação.

Vai ter ship e muita fanfic

Já nos primeiros minutos é evidente um triângulo amoroso entre Tai, Matt e Sora. Eu super torcia por Tai e Sora na primeira temporada (aquele episódio da pirâmide do Etemon em que a Sora está presa <3). Daí na segunda ficou claro que daria Sora e Matt… Achei estranho no início, mas acabei curtindo o casal. No tri., está rolando uma tensão que até a Mimi que estava morando nos EUA há tantos anos percebeu.

Falando da Mimi, Izzy tá caidinho por ela. Ficaram de papo na internet, daí juntou dois amores do rapaz, né? Será que ela vai dar bola para ele no final? Vou torcer. Aliás, Mimi é praticamente a Denise (Turma da Mônica) dessa história. Faz a diferença!

Então temos os grandes amigos de duas temporadas inteiras: T.K. e Kari. Takeru solta que vai levar uma “amiga” para o show da banda do Matt. Aham. Kari sacou tudinho. Só não sacou que esses os dois estão destinados a ficarem juntos desde sempre. Hello? Até os digimons deles são anjos nas evoluções, um masculino e outro feminino. É tipo Adão e Eva com sexos definidos. Só quero ver desenrolar.

Por fim é importante ressaltar que Joe TEM UMA NAMORADA. A cena que ele revela isso é sensacional. Dei replay umas dez vezes. Depois comecei a pensar que até ele tem um par. Cadê o meu?

Um digivice extra

Meiko_Mochidzuki_tA nona digiescolhida se chama Meiko Mochizuki. Ela é super tímida, parece que veio do interior. Fiquei com preguiça da caricatura, mas ela pode entrar no tópico dos ships em breve. Tá perdoada.

Como só foi aparecer e interagir mais com o grupo no quarto “episódio”, ela me deixou a sensação de ser uma extra. Só para gerar novidade, sabe? Mesmo que o digimon Gundam Wing parecesse estar atrás do Meicoomon (quando elas começaram a se chamar de Meiko, Mei, Meico fiquei super confusa), a “gata” dela, não fui convencida. Espero ser surpreendida!

Até porque… será que ela tem alguma ligação com a associação super secreta do professor Nishijima e da mulher sem nome que monitoram o digimundo??? Outro ponto que ainda não ficou claro para mim foram as imagens de outros digiescolhidos caindo no fundo vermelho bem no início do OVA. O que será?

Ai ai… Em pensar que agora só terei novidades no ano que vem…

Para se ter paz é preciso estar em paz

Destructive thoughts and emotions undermine the very causes of peace and happiness. If you think clearly about it, it makes no sense to think you’re seeking happiness, if you do nothing to restrain angry, spiteful, and malicious thoughts and emotions.

– Dalai Lama

“Pensamentos e emoções destrutivos minam as próprias causas da paz e da felicidade. Se pensar claramente, não fará sentido achar que está procurando a felicidade se nada é feito para conter pensamentos e emoções de raiva, rancor e maldade.”

Ontem tivemos as “tão esperadas” manifestações contra a situação atual do país. Várias pessoas foram às ruas para demonstrar sua indignação, outras estavam lá para criticar o governo. Até aí, na minha opinião, tudo estava válido. Um dos direitos que a democracia nos dá é exatamente o de protestar. Só que, então, aparecem grupos mais exaltados; que xingam a presidenta, desrespeitam pessoas com opiniões diferentes e ainda proclamam a volta dos militares ao poder (essa parte é particular, admito). Ainda assim, não dá.

Acho justo estarmos indignados diante de tantas denúncias de corrupção e problemas econômicos. De minha parte, o sangue ferve ao ver o que está acontecendo com o slogan “Pátria Educadora” (grande parte da minha família é da área da Educação). Porém, também acho péssimo a forma de como as pessoas têm escolhido demonstrar suas insatisfações.

Como podemos pedir mais respeito para os cidadãos se somos desrespeitosos? Alguns vão argumentar, “o governo não tem sido nada respeitoso com a gente”. Ah, tá. Concordo. Mas se eu continuar nesta vibração, ficarei para sempre neste ciclo de desrespeito. Daí, ontem, discutia com um grupo de amigos que acho hipocrisia ser contra a corrupção e continuar fazendo gato para ter TV a cabo. “As proporções são completamente diferentes”, contra argumentaram. De fato, são. No entanto, tudo que é grande um dia já foi pequeno; pequenos atos de desvios morais hoje, milhões de roubados no futuro. Por que não? E por assim vai.

Se quisermos um Brasil melhor, precisamos ser pessoas melhores. O povo pode derrubar quantos governos quiser. Se continuar sendo o mesmo povo de antes, o governo vai ter caras novas e as mesmas atitudes. Lembrem-se: o governo é sempre o reflexo da sociedade em que está inserido.

Quem está pronto para mudar? Nem todo mundo. O processo de reforma íntima é muitas vezes doloroso, mas também maravilhoso. Se eu quero uma reforma no meu país, eu, antes de tudo, preciso ser o agente transformador. Se quero paz, preciso pregar a paz e estar em paz. E isso não acontece da noite para o dia não, viu? Às vezes demora anos, décadas ou até uma vida inteira. A frustração bate às vezes? Bate! Bastante, por sinal. Mas não posso desistir. Porque desistir de si é ainda pior do que desistir do país.

Pessoalmente, creio que muito caos ainda está por vir em todas as esferas do Brasil. Não deixemos que este caos seja maior. Vibremos na harmonia. Com calma, ela há de chegar.

O Papa é Pop: Thor fazendo drama com Wan no País das Maravilhas

Faz tempo que essa coluna não recebe novidades, né?

Thor: O Mundo Sombrio dublado

O cinema aqui de casa só dava essa opção (dublado) no começo da tarde. Aí fui. Adorei o filme, que é infinitamente melhor que o primeiro. Além da participação especial e engraçadíssima do homem mais perfeito do mundo, o Capitão América, aconteceu algo inédito para mim em filmes de ação: eu entendi as cenas lutas. Talvez por eu ser mulher, sempre tive essa dificuldade. Estarei eu sendo machista comigo mesma? Tanto faz porque eu adorei as batalhas!

No final, nem me importei de o filme está dublado. Parte pelo filme ser legal, parte porque a dublagem estava muito bacana mesmo. Parabéns aos dubladores!

“Marry me if you dare” é o drama da vez

Lembram quando falei de k-dramas aqui? Que eles só seguem três fórmulas? Pois bem, esse que resolvi assisti se encaixa na categoria 3, viagens no tempo. Ao contrário dos que tinha assistido até agora, as duas linhas do tempo são muito próximas e a maior parte da história se passa no presente.

Marry-Him-If-You-Dare-06

MiRae (que por acaso é “futuro” em coreano) é uma aspirante escritora (!) de programas de variedade (?). Idade é algo muito importante na cultura coreana, então ela já estava um tanto velha (32) para o cargo. Então para sobreviver, ela tocava o emprego de atendente de call center, morava de favor na casa do irmão e andava pelas ruas com seu cabelo horrendo de permanente. Tudo muda quando uma senhora aparece e diz ser a “MiRae” do futuro. Ela fez a viagem clandestinamente para alertar sua versão mais jovem a não se casar com Kim Shin, o marido dela, e fazer com que SeJoo, um milionário gentil e tudo de bom, se apaixonasse por ela para que ela vivesse feliz para sempre.

Até agora foram seis capítulos muito bem construídos e empolgantes. Não há cenas melosas demais, nem demoradas demais. O humor não é escrachado como geralmente acontece e todas as personagens são apaixonantes (inclusive a suposta vilã, YooKyung).

Fica a dica para quem gosta do gênero.

A lenda de Wan

Na semana retrasada, Korra voltou ao tempo (adoooro) para entender como começou o processo kármico dos Avatares. Nisso, ela conhece Wan (one=um, sugestivo?), o primeiro de todos.

Foram dois episódios lindíssimos (foi o Studio Mir que fez a animação), contando a história de Wan. Não quero dar spoiler, então não vou entrar em detalhes de como foi ele que causou o desequilíbrio no planeta e acabou virando o avatar. Mas o que posso dizer? Melhores partes de uma temporada interessante, mas bem chatinha até agora.

Quer dizer, o nono episódio que assisti ontem foi até bem bacana. Luta, intriga, romance, reparação. Teve de tudo na dose certa. Espero que a partir de agora o ritmo seja esse.

Imagem oficial de Wan e Korra
Imagem oficial de Wan e Korra

Once Upon a Time e Once Upon a Time in Wonderland

 Achei muito genial a ideia dos produtores de OUT de fazerem uma série derivada do programa. Depois de três episódios, “Wonderland” se mostrou consistente, apesar de um pouco menos empolgante que a original. Fico feliz que a nova história não seja basicamente uma “cópia” de sua irmã mais velha.

Resumo: Alice volta ao País das Maravilhas depois de ser resgatada de um manicômio pelo Valete de Copas e o Coelho. O objetivo dela é encontrar Cyrus, um gênio da lâmpada por qual se apaixonou perdidamente e acreditava estar morto. Só que a Rainha Vermelha e Jafar farão de tudo para que esse encontro nunca aconteça. Detalhe amorzinho para o sotaque britânico de todos os atores.

Enquanto isso em Neverland/Terra do Nunca, uma imagem vale mais que mil palavras:

once-upon-a-time
Emma e Hook se pegando OMG

#LaraFeelings: Comeback do Fiestar

Como já falei bastante de algo coreano neste post, só vou compartilhar o novo clipe do grupo Fiestar. Não prestava muita atenção nas meninas, mas o vídeo é tão sugestivo e a música, tão divertida, que resolvi colocar aqui no AAE.

O Papa é Pop: Ivete escandalizando na porta da frente

Estive tão alheia ao mundo essa semana que passou… Mas vamos lá!

Just Dance 2014 tem até Ivete

Eu a-d-o-r-o Just Dance desde sempre, ao ponto de acompanhar as notícias no facebook e tudo mais. Imaginem a minha cara de “WTF” quando vi o anúncio que o próximo jogo da franquia vai contar com “Dançando” da Ivete Sangalo na playlist. Confesso que veio aquele medinho de caracterizarem a dançarina como uma passista de samba. Sério.

Aí saiu o vídeo teaser de como será no jogo. Desceu o alívio e apareceu a alegria. Ficou bem legal. Já me vejo pagando o maior mico porque não acompanho o gingado todo da dança (“Mas Que Nada” foi do mesmo jeito).

Korra, o que houve com você?

Não sei se foi o entusiasmo pela tão esperada estreia de A Lenda de Korra que me deixou cega, mas o animação está MUITO ruim. Fui assistir ao terceiro episódio e fiquei chocada. O movimento, o rosto e a vestimenta das personagens, está tudo muito ruim! Chorando, corri atrás de explicações quanto a piora da qualidade da série. Felizmente há “boas” razões.

Rolou uns problemas com o estúdio de animação coreano e eles acabaram fechando a primeira parte do Livro 2 com um estúdio japonês, o Pierrot (o mesmo de Naruto, por sinal). Todo mundo odiou a mudança e voltaremos a ver Korra “normalmente” a partir do episódio 19. Obrigada, Mundo Avatar.

tumblr_mrmxbumvBC1qlh352o1_r1_500
Coreia x Japão

Porta da Frente responde à Porta dos Fundos

Então… sou cristã e não me senti desmoralizada com o vídeo “Deputado”. Por que tem gente que insiste em achar que eu estou chateada com um bando de coisas? Isso vale para todos, heim? De ateu a testemunha de Jeová. Espero que um dia as pessoas se respeitem mais…

#LaraFeelings: É escândalo atrás do outro. ADORO!

A semana estava meio chatinha, apesar da volta do Busker Busker. O que bombou mesmo foram umas cinco notícias seguidas de paparazzi fotografando casais de idols. Aqui no Brasil isso é meio banal, mas na Coreia do Sul isso é loucura-loucura. Os famosos por lá evitam ao máximo a exposição de seus relacionamentos amorosos para não partir o coração dos fãs. É fofo.

Captura de Tela 2013-09-27 às 16.36.11
headlines do Allkpop hoje (27/09/2013)

Mas eu não estou nem aí. Gosto de ver o circo pegar fogo! As empresas dos artistas vão negar veemente, garotas malucas vão xingar bastante no twitter e eu assisto a tudo comendo pipoca. Idols também são gente, gente. Deixem eles namorarem!