VERSIONANDO: TT

“I’m like TT, just like TT”

Olá! Hoje trago a última versão do ano. Admito que 2016 foi bem parado, mas não custa lembrar que estava me recuperando da cirurgia ortognática, né?

Chega de enrolação.

Antes de tudo, preciso esclarecer o que é TT. Então, é um emoticon de alguém chorando! Aqui no Brasil, antes dos emojis, usávamos o T_T. Lembram? Pois é. E o que esperar de uma música que leva o nome de um emoticon de choro? Choro, né?

Basicamente é a história de um amor platônico, não correspondido. A ideia era realmente falar do ponto de vista de uma menina sonhadora e super apaixonada. Como me diverti bastante com a adaptação!

ORIGINAL

Estou com dois pensamentos, em uma situação embaraçosa
Eu só olho e digo ba-ba-ba-baby
Sem notar, todos os dias eu só imagino
Eu chamando seu nome, baby
Mas a gente ainda nem se conhece

VERSÃO

Em que situação fiquei, outra vez eu congelei
Se te olho, fico ba-ba-ba-baby
De imediato, sonho com os nossos filhos, baby
Resta saber seu sobrenome!

Quem nunca escreveu “Sra. (insira o nome do crush juvenil aqui)” no caderno que atire a primeira pedra!

ORIGINAL

Você diz que eu sou ridícula
Que eu só vivo pela aparência
Isso não me anima ba-ba-ba-baby
Eu estou ficando louca
Em toda essa confusão
Porque eu sinto fome?
Eu como todos os dias e eu ainda sinto fome

VERSÃO

Finalmente você me vê
E seu interesse, cadê?
Isso é tão frustrante, ba-ba-ba-baby
Enlouquecendo de ansiedade
É tão confuso, baby
Daí só como chocolate!

Neste caso, não gostei nada do texto original. Como assim o crush me chamar de ridícula? NUNCA. Por isso resolvi ser mais livre. Ele não está interessado, acontece. Quanto a segunda parte, em vez de me enfocar na fome, falei de ansiedade e chocolate. Muito mais brasileiro. Concordam?

Por fim, gostaria de ressaltar a parte do refrão entre os TTs.

ORIGINAL

I’m like TT, just like TT
Você não sabe dos meus sentimentos
Você é tão cruel, tão cruel

VERSÃO

I’m like TT, just like TT
Eu assim menos você
Nada a ver, nada a ver

No meu mundo ideal, a adaptação seria A FRAÇÃO EU – VOCÊ = NADA A VER. Ficaria tão legal… Mas não encaixava na melodia. Parti para o sacrifício.

E aí? Gostaram? Eu ADOREI. 😀

Anúncios

Leitura Compartilhada no Ponto Para Ler

“Olá, meu bom leitor”,

Venho aqui deixar os dois vídeos que o canal Ponto Para Ler fez do Parede Branca. A proposta é que as pessoas leiam e depois assistam, mas você tem direito de fazer o que bem quiser (se não se importar com spoilers nível médio).

 

Eu sou muito fã do Ponto, então fiquei felicíssima ao ver o Parede Branca por lá. A ideia do Leitura Compartilhada é super bacana, um pouco diferente do formato “normal de leitura conjunta” do Booktube. Aliás, o canal todo é fora da caixinha e mesmo que, às vezes, os livros comentados não façam o meu estilo, adoro conhecer coisas novas. Principalmente no ramo da Literatura, né?

Ah! Tem resenha escrita também! Não deixem de conferir. 😉

Versionando: Why So Lonely

Acho que já deu pra perceber que sou fã das WG e tiete da JYPE, né? Então foi difícil não me encantar com a batida melódica e gostosa de Why So Lonely. Como título já infere, temos aqui uma canção de amor não correspondido. Rolou uns beijinhos, as cantoras queriam mais, porém o rapaz não dá a mínima. #quem nunca.

Por ser voltada para o reggae, tive que fazer adaptações no ritmo – o português não acompanha o ritmo do coreano. Mas também é só isso que pode causar estranhamento. A letra segue bem a ordem da original. Porém, confesso que gostei muito mais do meu refrão!

ORIGINAL

Baby why I’m so lonely?
Eu te quero, mas você não quer
Querido não, eu não sei
Quando darei minhas costas a você

(tell me why)
O que você está pensando?
Eu te amo
Mas eu não sei por que
Eu me sinto tão sufocada

VERSÃO

Baby why I’m so lonely?
Bem me quer você mal me quer
Baby, por que não olha pra mim?
Não sei se vou conseguir suportar

(tell me why)
O que devo fazer?
Não posso te esquecer
Te amar não é nada doce
E aos poucos tendo a sufocar

Adoro quando tenho a oportunidade brincar com a versão sem fugir da tradução. De novo, quem nunca usou uma florzinha para fazer o famoso “bem me quer, mal me quer”? Ainda pegando o gancho da flor, usei o pré-chorus original pra escrever o “Te amar não é nada doce”. Nele há a frase “Numa doce história de amor”.

E aí? Gostaram? 🙂

4 Questionamentos sobre Fahrenheit 451

Já tem um bom tempo que quero fazer vídeos para discutir mais os livros, o processo de criação e a literatura. Pensei, pensei e pensei de novo. Cheguei a conclusão que não conseguiria ser uma booktuber. Porém, por que não uma escritora-meio-que-blogueira?

Após ler Fahrenheit 451 do autor Ray Bradbury, percebi que dizer o que achei da obra e fazer a minha avaliação não seria o suficiente. Até porque já exitem várias resenhas interessantes por aí! “Eu quero mesmo é discutir, ir mais fundo”,  disse para os meus botões. O resultado é o vídeo acima, que leva o nome do post.

Os tais questionamentos são mais convites a reflexão. Primeiro disserto sobre a mudança do protagonista, Montag. Depois comento o tom dos discursos dos personagens. Daí discorro sobre a questão da “memória”, do quanto é sempre “relembrada”. Finalizo filosofando sobre a neutralidade do mundo.

Ainda não tenho cenário, então fui guiada pela iluminação. Sentei no chão da sala, reli o roteiro que preparei e gravei. Espero que gostem!

Meu diário ortognático 1

Olá!

Hoje trago para vocês o primeiro de uma série de vídeos sobre a cirurgia ortognática. A minha está agendada para amanhã (7/5/16), pela manhã! Foram dois anos de aparelho, exames e consultas para que ela finalmente se concretizasse. E eu estou muito empolgada!

 

Sei que vídeo já falei, mas quero repetir aqui: o resultado dará um salto na minha qualidade de vida. Respirar melhor, dormir melhor, fazer exercícios melhor; tudo melhor. De quebra vou “ganhar” um rosto mais harmônico. O queixo pequeno que sempre me deixou meio bolada, porém que aprendi a amar, vai se sobressair. E, com a dieta de líquido e pastoso por 45 dias, ainda emagrecerei bem. É quase um “dia de princesa com o Netinho” que dura 8 meses de recuperação completa e não precisa de maquiagem.

Daqui a 15 dias volto para falar da cirurgia e como está sendo a recuperação. 🙂

 

Lidos de abril/2016 + Minha 1a maratona literária

Desta vez o post sobre os lidos do mês é um pouco diferente…

 

Pois é! Fiz este vídeo meio capenga, assim como a capa sem graça. Perdoem-me, eu quase reprovei na matéria de diagramação da faculdade de Jornalismo e TV (também como matéria) nunca foi o meu forte. Mas, como eu já deixo claro no início, tudo que tenho produzido no meu novo canal do YouTube é um experimento.

Espero o feedback de vocês! E aviso que até o final da semana farei outro vídeo para contar sobre a grande transformação da minha vida que está para acontecer. :B