Para se ter paz é preciso estar em paz

Destructive thoughts and emotions undermine the very causes of peace and happiness. If you think clearly about it, it makes no sense to think you’re seeking happiness, if you do nothing to restrain angry, spiteful, and malicious thoughts and emotions.

– Dalai Lama

“Pensamentos e emoções destrutivos minam as próprias causas da paz e da felicidade. Se pensar claramente, não fará sentido achar que está procurando a felicidade se nada é feito para conter pensamentos e emoções de raiva, rancor e maldade.”

Ontem tivemos as “tão esperadas” manifestações contra a situação atual do país. Várias pessoas foram às ruas para demonstrar sua indignação, outras estavam lá para criticar o governo. Até aí, na minha opinião, tudo estava válido. Um dos direitos que a democracia nos dá é exatamente o de protestar. Só que, então, aparecem grupos mais exaltados; que xingam a presidenta, desrespeitam pessoas com opiniões diferentes e ainda proclamam a volta dos militares ao poder (essa parte é particular, admito). Ainda assim, não dá.

Acho justo estarmos indignados diante de tantas denúncias de corrupção e problemas econômicos. De minha parte, o sangue ferve ao ver o que está acontecendo com o slogan “Pátria Educadora” (grande parte da minha família é da área da Educação). Porém, também acho péssimo a forma de como as pessoas têm escolhido demonstrar suas insatisfações.

Como podemos pedir mais respeito para os cidadãos se somos desrespeitosos? Alguns vão argumentar, “o governo não tem sido nada respeitoso com a gente”. Ah, tá. Concordo. Mas se eu continuar nesta vibração, ficarei para sempre neste ciclo de desrespeito. Daí, ontem, discutia com um grupo de amigos que acho hipocrisia ser contra a corrupção e continuar fazendo gato para ter TV a cabo. “As proporções são completamente diferentes”, contra argumentaram. De fato, são. No entanto, tudo que é grande um dia já foi pequeno; pequenos atos de desvios morais hoje, milhões de roubados no futuro. Por que não? E por assim vai.

Se quisermos um Brasil melhor, precisamos ser pessoas melhores. O povo pode derrubar quantos governos quiser. Se continuar sendo o mesmo povo de antes, o governo vai ter caras novas e as mesmas atitudes. Lembrem-se: o governo é sempre o reflexo da sociedade em que está inserido.

Quem está pronto para mudar? Nem todo mundo. O processo de reforma íntima é muitas vezes doloroso, mas também maravilhoso. Se eu quero uma reforma no meu país, eu, antes de tudo, preciso ser o agente transformador. Se quero paz, preciso pregar a paz e estar em paz. E isso não acontece da noite para o dia não, viu? Às vezes demora anos, décadas ou até uma vida inteira. A frustração bate às vezes? Bate! Bastante, por sinal. Mas não posso desistir. Porque desistir de si é ainda pior do que desistir do país.

Pessoalmente, creio que muito caos ainda está por vir em todas as esferas do Brasil. Não deixemos que este caos seja maior. Vibremos na harmonia. Com calma, ela há de chegar.

Amor verdadeiro

O amor é fortaleza, liberdade e crescimento
O amor é fortaleza, liberdade e crescimento

 

Fazia tempo que seu Dalai não dava as caras por aqui. Pois bem, ele volta com o estilo e citando o amor. Olhando de primeira, parece que a frase se refere ao amor filhos-pais. Lendo com cuidado, dá para ver que se aplica a todos.

Tenho trabalhado uma crença interior que me diz que “amor é fraqueza”. Ainda bem que tenho descoberto o quanto ela é errada e que tem fechado muitas áreas da vida, inclusive a do amor próprio. Para amar os outros equilibrada e verdadeiramente é preciso começar por si. Amar é vulnerabilidade, isso é demonstração de força. Amar liberta. Amar está na nossa essência.

Se Dalai Lama disse… 2

554539_671133109564080_1008132003_n
“Oceano de Sabedoria”

Já comentei que sou fã de Dalai Lama? Que o considero um dos seres mais evoluídos atualmente neste planeta? E, por isso, ele é uma das minhas maiores fontes de inspiração?

Pois é. Não sei se vocês sabem, mas Dalai Lama em tibetano significa “oceano de sabedoria”. Acho que tem tudo a ver comigo, já que Marina em latim é “aquela que veio mar”. Gostaria de ser Marina Lama, um “mar de sabedoria”. hehehe

Trocadilhos à parte (até porque estou há anos luz de iluminação do “seu” Dalai), sabedoria é uma palavra muito importante para mim. Vai além da inteligência, do conhecimento. Tem a ver com escutar meu coração e a minha essência, traduzindo-os em atitudes. Acredito que isso vale para a escrita também. Quando me conecto com a “marina sábia” que há dentro de mim, é a hora em que minhas histórias saem com maior fluidez.