Lidos de junho/2016

Junho e começo de julho, tá? Logo mais começa a Maratona de Férias 2016, então o próximo post de Leituras estará relacionada a ela.

IMG_9174

#33: Fúria Vermelha – Pierce Brown

De tanto ver o booktubers falando desse livro, resolvi dar uma chance. Conta a história de uma sociedade interplanetária de castas dividida em cores, sendo o dourado o topo da hierarquia. O personagem principal, o Darrow, é um vermelho – que são tipo os Dalits. Ele vive no subsolo de Marte, num trabalho horrendo, mas é feliz. Devido a vários acontecimentos, ele resolve lutar contra essa mesma sociedade que o criou. Ou seja, é a premissa de quase todos os livros YA fantasia/distopia. Eu não me importo porque adoro narrativas de quebra de sistema. O livro é muito bem escrito, com um cenário interessante e cenas de ação sem iguais. Só que… não achei essa 8a maravilha não. Acho que criei expectativas muito grandes, sabe? Pensei que explodiria a minha cabeça, mas acabou só sendo um livro legal.

Daí também já comecei a ler o Filho Dourado, mas me cansei na metade. Não abandonei ainda. Só que eu não sou tão fascinada assim por excesso de ação (e é só que li até agora). Por isso fui direto para próxima leitura.

#34: Tá todo mundo mal – Jout Jout

O livro das crises é um ótimo passatempo. Impossível não se identificar com os dramas piscianos da Jout Jout. Gostei principalmente dos da adolescência, que eram resumidos em “ser sempre A amiga dos meninos” e o “a falta de queixo”; muito eu. Já os mais atuais… uns eram ótimos, outros um tanto descartáveis, na minha opinião. Ainda assim tenho mais carinho pela youtuber depois de ler as crônicas da sua vida.

#35: A lente de Marbury – Andrew Smith

Pensem num livro que me tirou da zona de conforto? Li forçada para o primeiro encontro do Clube do Livro da Autêntica. Não que não tenha gostado. Apesar de em vários momentos duvidar da minha sanidade, como Jack, o narrador e protagonista, achei a experiência da leitura extremamente interessante. Um resumo: Jack é um menino normal até que é sequestrado por um maluco que quase o estupra. Depois disso, ele viaja pra Inglaterra com o seu melhor amigo e lá “recebe” um par de óculos muito doido que, sempre que o coloca, o transporta para Marbury – um mundo apocalíptico onde ele está sempre correndo de criaturas meio zumbis. É ou não é perturbador? Agora imaginem estar o tempo todo na cabeça de Jack, vivendo no mundo real e no mundo de Marbury, questionando-se o tempo todo o que está acontecendo. Até agora, quando me lembro da história, sinto um desconforto interno.  Principalmente por causa do fim! O fim não fez sentido algum… Pena que é uma trilogia. Sério.

#36: Münchhausens Abenteuer – Rudolph Erich Raspe

FullSizeRender-11Não se deixem enganar pelo autor na foto do livro. G.A. Bürger foi apenas o tradutor alemão do original escrito em inglês. A parte estranha é que o Sr. Raspe era alemão também. Vai entender…

O Barão de Münchhausen é uma figura notória na cultura germânica. O verdadeiro era um militar que viveu no fim do século XVI. A persona criada por Raspe, ainda hoje faz sucesso com as suas aventuras exageradas. A cada viagem, o barão encontra criados esdrúxulos, animais pitorescos e sobrevive às situações mais inimagináveis. A leitura foi um pouco difícil porque continha um tempo verbal que só fui aprender na última unidade do livro de alemão do semestre. Estou morrendo de vontade de comprar o livro ilustrado em português e assistir aos filmes sobre ele. 🙂

#37: United as One – Pittacus Lore

Minha resenha no SKOOB: Impressionante. Gosto muito dos Legados de Lorien, principalmente pela forma que o autor construiu a série com livros completos e mini-histórias. Ainda assim, temia pela finalização por conta da proporção da batalha contra os Mogadorianos e porque acho o ritmo da narrativa de “Lore” um tanto irregular. Talvez por esperar o pior, “United as one” me surpreendeu positivamente. TODOS os personagens foram bem utilizados e tiveram conclusões interessantes. Respeitosas, sabe? Eu que acompanho tudo desde o início, fiquei bastante feliz com o resultado.

Em breve, um post só falando SOBRE o fim da série!

Lidos de abril/2016 + Minha 1a maratona literária

Desta vez o post sobre os lidos do mês é um pouco diferente…

 

Pois é! Fiz este vídeo meio capenga, assim como a capa sem graça. Perdoem-me, eu quase reprovei na matéria de diagramação da faculdade de Jornalismo e TV (também como matéria) nunca foi o meu forte. Mas, como eu já deixo claro no início, tudo que tenho produzido no meu novo canal do YouTube é um experimento.

Espero o feedback de vocês! E aviso que até o final da semana farei outro vídeo para contar sobre a grande transformação da minha vida que está para acontecer. :B

 

Comentário Skoob: Livros 16, 17 e 18

Alcancei a meta de leitura! Estamos em Setembro e cheguei aos 18 livros lidos. Contando que são dois por mês, arrasei. Nesta nova leva, tive oportunidade de ler em português, espanhol e inglês. Logo terminarei meu primeiro livro em alemão também!

almagesto-capaAlmagesto – Adriana Kortlandt

4/5

Uma coleção de contos da alma. Mais precisamente de como a morte se apresenta de várias formas. A escrita de Adriana é algo que nunca vi na minha vida. É dinâmica, louca, formal e coloquial ao mesmo tempo. As histórias às vezes não fazem sentido, mas ainda assim amei experiência de lê-las. Algumas me tocaram de uma maneira muito profundo; essas ficarão guardadas direitinho no meu coração.

el-festin-de-la-muerteEl festín de la muerte – Jesus Diez de Palma

5/5

Fiz minha carteirinha da biblioteca do Instituto Cervantes de Brasília. Estree-a com esse livro, que ganhou prêmio e tudo mais. Não sabia o que ia encontrar, a não ser uma história sobre a II Guerra Mundial. Nossa… que narrativa! Ao longo do livro somos apresentados a vários personagens, todos extremamente bem construídos e assombrados de jeitos diferentes pelo fantasma da guerra. O interessante é que eles vêm de vários lugares da Europa. Alguns chegam a se se encontrar e este encontro sempre é marcante. Ótimo drama psicológico. Recomendo demais. No entanto, não existe tradução dele aqui no Brasil.

The_Fate_of_Ten_CoverThe fate of Ten – Pittacus Lore

4/5

A espera de um ano acabou mais uma vez. Que alegria poder ver os meus alienígenas favoritos em ação. Queria comentar muita coisa, mas não acho legal dar spoilers porque o livro só deve chegar aqui no final do ano ou no início de 2016. Ainda assim… UAU! Até a metade do livro estava o classificando como o mais chatinho da sério, daí veio a segunda parte e BANG. “Lacrou”. Toda a Garde em ação, mais vislumbres do planeta lorieno e o passado de Setrákus Ra explodiram a minha mente. E O QUE DIZER DA ÚLTIMA PÁGINA? O desdobramentos agora só saberei no ano que vem. Dúvido que os mini-libros a sair nos dêem pistas sobre o fim da saga dos Legados de Lorien.

Comentário Skoob: livros 12, 13, 14 e 15

Em meio a revisões e releituras do “Parede Branca”, arranjei tempo para a minha meta de livros deste ano. Quatro livros, sendo três de autores brasileiros. É um milagre!

y450-293The Guard – Pittacus Lore

3/5

YEY! Mais um “arquivo perdido” da série dos Legados de Lorien. Foram cem páginas contando a saga de Lexa de antes de se encontrar com Mark James. A loriena passou por bons apuros, mas nunca foi pega. E isso fez com ela se tornasse muito só. No fim do livreto, não só há vislumbres do seu futuro, como também de “O Destino de Dez”, penúltimo livro da saga que sai no dia primeiro de setembro.

FullSizeRender-2

Cartas ao poeta dormindo – Marcos Linhares

4/5

Eu já tinha ouvido falar do João Cabral de Melo Neto, autor de Morte e Vida Severina, nas aulas de literatura. Porém, nunca me interessei por ele de fato. Após ler esse livro, tudo mudou. Linhares aproveitou uma entrevista feita com o poeta na década de 90 e compôs a obra com cartas. Muito bacana mesmo.

Os sete gênios planetários – Magali Suchy

3/5

Você já se perguntou o porquê dos signos terem os nomes que tem? Pois é, esse livro explica as origens dentro da mitologia grega e ainda vai além: sugere a formação de cada arquétipo zodiacal. AMEI. Só que entendi apenas a primeira parte (a das origens). As outras duas são tipo grego para mim que não entendo nada de mapas astrológicos, suas movimentações cósmicas e planetárias.

Boneca de pano – Maria Luiza Ervilha

3/5

Esta é a história de dois amigos de infância do interior de Minas Gerais que demoram quase uma vida toda para se entregarem ao amor. É tanta coisa que acontece com Ana Lúcia e Miguel que nem sei o que comentar. A verdade é que a obra não faz muito meu estilo, mas a autora escreve tão bem que não me deixou largar o livro. E, no fim, fui bem surpreendida. Gosto quando isso acontece.

Comentário Skoob: Livros 5, 6 e 7 de 2015

Depois de “O Mundo de Sofia“, esta foi a ordem de leitura. Optei por livros menores porque já tinha atrasado bastante a meta. Seria isso trapaça?

Maze-Runner-Ordem-de-Extermínio-James-DashnerA Ordem de Extermínio – James Dashner

4/5

Ultimamente tá na moda terminar série e depois expandir o universo, falando do passado ou do futuro. Neste derivado de Maze Runner, temos a história de um grupo sobrevivendo logo após a hecatombe das chamas solares. Também acabamos descobrindo como o vírus que desencadeou o “Fulgor” foi espalhado. Na minha opinião, este livro conseguiu ser mais bem narrado e desenvolvido do que toda a trilogia do Thomas. Mesmo o Mark, o novo protagonista, sendo praticamente igual ao… Thomas. Talvez o autor não tenha muita criatividade para personagens. Ainda assim, aguardo ansiosa pelo novo livro previsto para o ano que vem.

cv_o_escaravelho_do_diaboO Escaravelho do Diabo – Lúcia Machado de Almeida

2.5/5

Meu Deus! Livro brasileiro! Soube que um filme desse livro estava para ser lançado e resolvi lê-lo. Quando vi que era da Coleção Vaga-Lume bateu uma nostalgia incrível porque, né? Que criança nunca leu nada desta coleção? Enfim, a história é sobre uma série de assassinatos de pessoas ruivas que acontece numa cidade. Alberto, cujo o irmão mais novo foi a primeira vítima, resolve entrar nas investigações e tentar descobrir o mistério por trás do serial-killer que sempre manda uma espécie de escaravelho para pessoa que está prestes a matar. A trama é legal e não dá pra esperar desenvolvimento de personagens num livro de 100 páginas, né? Li em uma tarde. Agora é esperar o filme.

The_NavigatorThe Navigator – Pittacus Lore

3/5

Mais um mini-livro da série dos Legados de Lorien. Desta vez temos as lembranças de Lexa, personagem apresentada em “The Fugitive”, sobre sua fuga de Lorien após a invasão mogadoriana. De certa forma, a estrutura é muito parecida com do “The Last Days of Lorien, mini-livro que conta história de Sandor, o mentor de Nove. A diferença é que nesta nova peça, Lexa também narra sua adaptação à Terra e como foram os primeiros dias aqui. Ela é uma boa personagem. Espero vê-la nos próximos dois livros que estarão por vir (Sim, Pittacus Lore anunciou este ano que a saga contará com sete livros e não com sete, como havia sido dito antes).

Sobre a meta de leitura

“Preciso fazer mais reviews e comentários do que leio”, foi que pensei agora pouco. Afinal, eu me propus a discutir literatura, não foi? Cria-se, a partir deste momento, uma nova categoria no “Aspirante a Escritora”: Comentários Skoob. Sim, a inspiração vem da rede social SKOOB.

Pois bem, vamos lá. Seguindo o desafio de 1 livro a cada 15 dias, já estou adiantada. Li três livros desde que o ano começou. Férias têm disso, né?

22347267Cheio de Charme – Marian Keys

4/5

2014 estava acabando quando eu percebi que tinha passado o ano inteiro sem ler nenhuma “comédia de mulherzinha”. Escolhi Marian Keys porque ela SEMPRE me faz gargalhar com as histórias. Dito e feito. Cheio de Charme me fez chorar de rir, principalmente com a personagem Lola (o livro tem mais três personagens que narram os capítulos). O enredo, basicamente, é sobre estas quatro mulheres que, em comum, têm Paddy De Courcy, o tal cheio de charme, no passado. Apesar das boas gargalhadas, o livro trata de questões mais sérias como política, jogo de poder, abuso sexual e violência feminina. Muito bom, mas não gostei do final. Achei corrido e sem graça.

foto66

Marina – Carlos Ruiz Zafón

3,5/5

Belo nome para um livro. RISOS. OK, falemos sério. O livro é bom. Não tanto como história. Achei pitoresca demais. Mas a narrativa e os personagens se sobressaem. Foi a minha primeira experiência com o senhor Zafón (tenho quase todos os livros dele, comprados em promoções de livraria). A descrição dos lugares, das ações e as analogias me encantaram demais. E a misteriosa Marina, o curioso Óscar e cavalheiro Gérman ajudaram esta leitura de praia a ser uma brisa refrescante no verão.

y450-293The Fugitive – Pittacus Lore

4,5/5

Mais uma novelinha da série dos Legados de Lorien. O Paradise. Ciente da presença dos aliens na terra e ansioso para encontrar a ex-namorada Sara Hart, Mark embarca numa viagem pelos Estados Unidos em busca de informações que possam levá-lo até os Mogs (no sentido de destruí-los). As 100 páginas têm ritmo eletrizante. Li numa sentada. Mal posso esperar para a próxima novela, “The Navigator”. Só posso dizer algo: é o começo do fim da série!

No momento: lendo O Mundo de Sofia.

Desafio do Livro

Eu fui desafiada pela Daniela Araújo, minha prima de coração, a fazer o Desafio do Livro. Então, aí estão os meus 10 livros favoritos, com direito a descrições detalhadas do porquê de estarem na lista:

1. A série do Harry Potter de J.K. Rowling

Não tem jeito. Pode parecer cliché, mas eu fui uma dessas crianças que esperou a coruja aparecer  com a minha carta de Hogwarts no meu aniversário de 11 anos e ficou traumatizada pois ela nunca veio. Eu literalmente cresci com a história do menino que sobreviveu. Sim, eu tenho os meus favoritos, “O Cálice de Fogo” e “O Enigma do Príncipe”, mas o universo pelo que eu me apaixonei estão nos sete livros da saga. Sério, J.K. Rowling. Pode lançar o que quiser sobre o Harry Potter. Mesmo que seja ruim, eu sei que vou gostar.

2. O Pequeno Príncipe de Antoine Saint-Exupéry

Outro super cliché, mas quem se importa? Já falei deste clássico milhões de vez aqui no blog e aposto que mais ainda está por vir. Como podem 93 páginas serem tão mágicas a ponto de encantar pessoas até hoje? Sempre as leio uma vez ao ano, sempre descubro coisas diferentes. Incrível.

3. Viagem ao Centro da Terra de Júlio Verne

Clássico! E o mais legal foi como fiquei interessada pelo livro: a música Journey to the Centre of the Earth. Meu pai era fã do compositor dela, Rick Wakeman. Sempre ouvíamos no caminho da escola, quando eu tinha uns 10 anos. Foi aí que ele me explicou que a música tinha sido baseada na obra do Julio Verne. Convenhamos, a aventura do Axel e do professor Lidenbrock fica ainda mais sensacional com uma trilha sonora dessas!

4. Tem Alguém Aí? de Marian Keys

Marian Keys é incrível. Sério, amo o jeito divertido dela de escrever. Tem Alguém Aí? entra nesta lista porque foi a primeira vez que a vi tratar de um tema meio complicado (a morte e seus mistérios), de uma maneira tão engraçada, respeitosa e bonita.

5. Eu Sou o Mensageiro de Markus Zusak

Para ser sincera, não me lembro bem da história desse livro. Nem sei exatamente quando a li (releitura encaminhada). Ainda assim, não consigo tirá-lo da minha estante. Apesar de não me lembrar do plot, a essência  ainda está muito clara na minha mente: todos nós somos mensageiros e podemos fazer a diferença no mundo.

6. O Garoto no Convés de John Boyne

O livro mais famoso de John Boyne é “O Menino do Pijama Listrado” (que eu amo de paixão também). O “Garoto no Convés” ganhou na lista porque fiquei muito impressionada com a ideia de reconstituir uma história real, a do motim no HMS Bounty, e ainda relatar a ficção do adolescente John Jacob Turnstile. E assim descobri que a literatura é um vão com portas infinitas a serem abertas.

7. A série dos Jogos Vorazes de Suzanne Collins

Não é modinha, a série é realmente boa. Sempre adorei filmes de futuros distópicos, mas nunca havia lido nada do gênero. Devorei os três livros em uma semana. A autora diz que não assistiu ao Battle Royale, mas os jogos vorazes são iguais ao do filme japonês. Não tem problema. Suzanne criou Panem e Katniss e fez com que eu acreditasse que, sim, adolescentes podem ler coisas mais sérias. Mas aviso que essa de Team Gale e Team Peeta não presta; a história é muito mais do que triângulos amorosos.

8. A Cabana de William P. Young

Best Seller. Impactante. Emocionante. Lacrimejante. Lindo de morrer. Mack Allen Philips, o personagem principal, entra na cabana e a vida dele muda completamente. Os diálogos desse livro… o que são os diálogos desse livro? Uma linda metáfora da superação da dor.

9. A Cura de Schopenhauer de Irvin D. Yalom

Não, eu não li “Quando Nietzsche Chorou”. Yalom ganhou uma ocupação aqui porque foi a primeira biografia/ficção que já li na vida. Explodiu minha cabeça a forma que ele conta os casos do grupo de terapia e narra vida penosa do filósofo mais pessimista do mundo, Schopenhauer.

10. A série dos Legados de Lorien de Pitaccus Lore

Meu último post foi todo sobre isso, por favor.

Observações:

– Não coloquei nenhum livro da Agatha Christie porque realmente não tenho um favorito. Gosto da autora e ponto;

– Sinto-me mal por não ter colocado nenhum autor brasileiro, mas estaria mentindo ao nomeá-lo como favorito;